• Pr. Adelcio Ferreira

A perseverança diante de dificuldades.

Atualizado: 18 de fev. de 2021




Julguei, contudo, necessário enviar-vos Epafrodito, meu irmão, e cooperador, e companheiro nas lutas... Filipenses 2.25

Mais do que nunca precisamos de companheiros de luta. Uma vez uma funcionária nossa ao fazer entrevista para os que desejavam trabalhar conosco em nossa empresa secular, ela colocou uma pergunta em seu questionário muito marcante na minha vida. A pergunta foi: Como você age quando está sobre pressão? Costuma desistir, ou continuar?

Muitas pessoas no Reino de Deus não estão aptas para responder essa pergunta, por que diante de pressão, crise ministerial, correção, abandonam seu posto. Assim como também o funcionário que não está apto a se submeter a princípios que uma empresa exige, logo sairá dela.

Em muitos casos os pastores se veem sem saída, tendo que assumir cargos no decorrer do ano que são abandonados. Quando um líder trabalha sob a ótica de Deus, não se submete aos caprichos humanos, de alguns liderados que se veem sobre pressão. Pois, quando suas vontades não são satisfeitas, se encontram entre um dilema. Obedeço, ou abandono. Na grande maioria dizem: Então, pra mim assim não dá, põe outro no meu lugar. Nesse instante da circunstancia muitos para não substituir, aceitam as condições impostas pelo irmão, pela irmã para assim, poder continuar fazendo o que começou. Ferem assim alguns princípios da Palavra de Deus, afetando as questões eclesiásticas em alguns casos para manter aquele/aquela no cargo, prejudicam a doutrina, ou ensinamento que trazem consigo abrindo exceção, para não perder este ou aquele obreiro/obreira.


Todos os anos as igrejas pelo que imagino, passam por isso. Já estou à frente de ministério as mais de duas décadas, e ouço muita gente dizer: pastor, eu quero entregar meu cargo. Ai, sempre me lembro de como servi, e de como sobrevivi enfrentando as situações de pressão na vida, e ministério. Muitos usando de palavras tais como: Poe outro no meu lugar então, quero entregar meu cargo, estou parando pastor, orei a Deus e não é isso que Deus tem para mim, etc. Aprendemos com o tempo no caminho cristão, que são desculpas obtidas diante da pressão que enfrentam na obra, ou diante do orgulho do coração em não obedecer quando são corrigidos. Isso digo na maioria dos casos.

Muitas pessoas se perdem na vida espiritual por que não crescem espiritualmente. Nunca alcançam a fase adulta no ministério. Pois não sabem se dirigir diante de pressão ministerial, psicológica ou espiritual. Todo obstáculo é motivo de desistência. Paulo disse: Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino (1Coríntios 13:11). Ninguém chega a lugar nenhum abandonando o que lhe é dado para fazer, por causa de sua imaginação precoce, acerca de um assunto ou correção. Meninos precisam ser ensinados a serem homens.

Porém, acredito que essa é a pior geração de crentes que conheci, digo isso a meus obreiros é para os pastores do nosso ministério. Para se realizar a obra de Deus, esse é o pior tempo que já presenciei para trabalhar com povo de Deus. Pastores estão atarefados, exaustos, sobrecarregados, pois, além de fazerem o que Deus lhes ordenou fazer, ainda carregam os ministérios abandonados, no decorrer da obra de Deus. Os crentes atuais, estão se acostumando apenas a ficar nos bancos, igrejas estão em alguns lugares cheias, mais não tem obreiros, ou pelo menos o interesse ministerial de muitos já não existe mais.

Como usamos a metáfora antiga: O pastor tem que bater o escanteio e correr na área para cabecear, antes e agora ainda fazemos isso, e Deus seja louvado por quem tem alcançado esse privilégio. (chegar a área para cabecear), pois hoje nós vemos lideres se suicidando, abandonando igrejas, saindo do ministério, por que correm, mais não chegam na área para fazer o gol.

É triste olhar para uma geração assim, já prevendo e acreditando em como será a futura. Com certeza pior e muito, do que essa geração presente. Já fiz uma mensagem onde classifiquei essa geração, como geração de meninos mimados. Mas a que compararei esta geração? É semelhante a meninos que, sentados nas praças, gritam aos companheiros: Nós tocamos flauta, mas vocês não dançaram; entoamos lamentações, mas vocês não prantearam. (Mateus 11:16-17).

Quem está conosco sabe, que se alguém é corrigido e pede para ser trocado no ministério, será imediatamente retirado do cargo. Por que todo cargo, é um serviço, e todo serviço é considerado um diaconato, a palavra diakonia (ministério ou diaconato) e diakoneo (servir ou ministrar), quer dizer atendente ou servente, aquele que trabalha na obra de Deus. Antes de ser ungido pastor, servia na igreja como diácono, fui líder de louvor, professor de escola bíblica, líder de jovens, líder do corpo diaconal, segundo pastor e ainda trabalhava durante o dia. Nada disso me fez entregar um cargo sequer, mais sempre querer servir mais e mais. Hoje muitos acham difícil, e que de alguma maneira vai atrapalhar sua vida se uma simples tarefa de abrir a igreja aos domingos for lhe imputada.

Deixo um conselho aos meus amigos e queridos pastores e líderes. Aprendi esse conselho com um pastor chamado Josué. Quem deseja sair, deixa ir embora. Pois trago uma máxima comigo: É melhor frear um obreiro, por que deseja fazer demais, do que ter que empurrá-lo para fazer algo.

O desejo de muitos hoje, é pelas coisas desse mundo e não pela obra de Deus. Paulo já enfrentava essa dificuldade lá no passado, na Igreja de Filipos, até que Deus lhe enviou Timóteo. Espero no Senhor Jesus enviar-lhes Timóteo o mais breve possível, a fim de que eu me sinta animado também ao receber notícias de vocês. Porque não tenho ninguém com esse mesmo sentimento e que se preocupe tão sinceramente por vocês. Todos os outros buscam os seus próprios interesses e não os de Jesus Cristo. Filipenses 2:19-21. Meu ministério foi pautado na obediência, e em superar a pressão, obstáculos, injurias, perseguições e não desistir. Deus sempre me envia um Timóteo. Tivemos vários problemas no decorrer dessas décadas de ministério, e sempre o Timóteo chegava, para suprir os abandonos dos Demas espirituais que amam este século.(Procura vir ter comigo depressa, Porque Demas me desamparou, amando o presente século 2Timóteo 4:9-10).

Cuidado com o que tem semeado no decorrer da sua vida com Deus. Você será resultado de sua semeadura. Dificilmente eu volto desistentes para correr comigo novamente. Aqueles que nos abandonam no caminho uma vez, podem repetir a façanha, a não ser que vejamos o esforço, ou exercício praticado para se refazerem novamente. Espero que oremos pelos novos cargos a serem delegados nesse fim de ano. Participe dos meus sofrimentos como bom soldado de Cristo Jesus. Nenhum soldado em serviço se envolve em negócios desta vida, porque o seu objetivo é agradar aquele que o recrutou. Igualmente, o atleta não é coroado se não competir segundo as regras. (2Timóteo 2:3-5).

Hoje Deus me deu uma resposta de oração através de um vídeo que desejo postar junto a esse texto. A igreja só está morta, para aqueles que a estão matando. Não mantenha um crente em seu ministério sob ameaça desse sujeito. Nem para ter números em sua congregação, pois Jesus disse: Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta, espalha, (Lucas 11:23). Muitos na hora difícil abandonam, ou por seus interesses ou pela luta. Observe isso pastor e será bem-sucedido naquilo que realizar. Precisamos identificar e diferenciar CHAMADO E VOCAÇÃO.

Um chamado (Que se chamou; que foi convocado; escolhido), ninguém abandona por nada nesse mundo. Vocação sim, (uma inclinação, uma tendência ou habilidade que leva o indivíduo a exercer uma determinada carreira ou profissão). Praticam, abandonam de vez quando, escolhem outras mais promissoras etc.

Ninguém te poderá resistir, todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei nem te desampararei. Esforça-te, e tem bom ânimo... Josué 1:5,6

Deus abençoe.

Pr. Adélcio Ferreira – IBPMG

------------------------------

Vou recomendar um vídeo de nosso canal:


Veja também esse vídeo: Decisões erradas em tempos de crise! O princípio de uma tragédia



30 visualizações0 comentário